Nesta segunda-feira (23/3), o governador Fernando Pimentel e a ministra Nilma Lino Gomes, da Secretaria de Polticas de Promoo da Igualdade Racial (SEPPIR/PR), assinaro o Acordo de Cooperao Tcnica para execuo de aes de enfrentamento ao racismo e promoo da igualdade racial no mbito educacional. Minas  o primeiro estado do pas a firmar este acordo com a SEPPIR/PR. No evento, ser lanada ainda a campanha "Afro-conscincia: com essa histria a escola tem tudo a ver".

Durante a cerimnia, a coordenadora do setor de Educao da UNESCO no Brasil, Maria Rebeca Otero Gomes, entregar ao governador a sntese da Coleo "Histria Geral da frica". A coleo formada por livros que contam a histria da contribuio dos povos africanos para a humanidade, bem como sua influncia na formao social, poltica e econmica do Brasil. Cada uma das 3.667 escolas estaduais mineiras vai receber dois exemplares da coleo.

A secretria de Estado da Educao, Maca Evaristo, explica a importncia do Acordo: " Ao assinar o Acordo de Cooperao, Minas Gerais est  assumindo um compromisso de efetivao de uma poltica de promoo da igualdade racial. Quando  falamos em cultura e histria afro-brasileira, estamos falando tambm de uma histria que, durante muito tempo, foi negada. Agora, seu valor comea a ser  resgatado". 

O acordo de cooperao visa promover uma mobilizao para o cumprimento da Lei Federal 10.639/2003 nas escolas pblicas estaduais. Essa lei instituiu a obrigatoriedade do ensino da histria da frica e dos africanos no currculo do ensino fundamental e mdio, bem como as diretrizes curriculares nacionais para a educao das relaes etnicorraciais para o ensino de histria e cultura afro-brasileira e africana.

A coordenao da implantao das aes conjuntas em todas as etapas da cooperao de responsabilidade da Secretaria de Estado da Educao (SEE). O acordo no contempla repasse de recursos financeiros. A proposta pretende realizar aes nas escolas para a superao do preconceito racial, na busca pelo reconhecimento e valorizao da histria e da cultura dos africanos na formao da sociedade brasileira. O objetivo que as aes impactem o trabalho de todos os 135 mil professores do Estado.

O acordo vai contemplar as 3.667 escolas da rede estadual de ensino, o que corresponde a 2,15 milhes de alunos, sendo 1.237.649 do ensino fundamental, 689.740 alunos do ensino mdio e 225.730 da educao de Jovens e Adultos.

O processo ser feito em cinco etapas. A principal estratgia para atingir os objetivos propostos nesta parceria a realizao de um diagnstico da implementao das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educao das Relaes tnico-raciais e para o Ensino de Histria e Cultura afro-brasileira e africana no mbito das escolas estaduais. O diagnstico ser feito entre maro e abril. Ele vai identificar a forma como essa temtica est sendo trabalhada na educao estadual mineira.

Com base neste levantamento, a SEE vai elaborar um plano de aes complementares entre maio e julho. A implementao nas escolas ser feita entre agosto e outubro deste ano.

 

Sobre a Campanha

O objetivo da campanha "Afro-conscincia: com essa histria a escola tem tudo a ver" incentivar os professores a inclurem, de forma permanente, a histria e acultura afro-brasileiras em suas disciplinas de modo a prestigiar as contribuies reais dos povos negros formao de desenvolvimento da nao brasileira nos mais diversos campos: artes, cultura, culinria, linguagem, etc.

A campanha contar com um vdeo e spots de rdio de sensibilizao para a aplicao da lei, que ficaro disponveis no hotsitenovotempo.educacao.mg.gov.br. Tambm sero distribudos cerca de 17 mil cartazes para todas as escolas estaduais e municipais de Minas Gerais com a divulgao da campanha.


Selo de reconhecimento

Ser criado, ainda, o "Selo Afro-conscincia" para as escolas que conseguirem desenvolver estratgias pedaggicas de valorizao da cultura afro-brasileira no currculo, de forma transversal e permanente. As regras para criao do selo e agraciamento das escolas sero definidas em regulamento, que ser posteriormente divulgado.



"gua e Desenvolvimento Sustentvel" o assunto que pautar as discusses do setor de recursos hdricos em todo o mundo no Dia Mundial da gua 2015. Alusivo a este dia, o Departamento Municipal de Saneamento Urbano - DEMSUR comemorar esta data celebrada em 22 de maro da melhor forma-

com atividades educativas conscientizando sobretudo as crianas e adolescentes, disseminadores em potencial, para ser embaixadoras do meio ambiente. As atividades iniciaro nesta quinta na Escola Estadual Gilberto Tanus Braz, no bairro Joo XXIII terminando com visitao da escola na sexta-feira na Estao de Tratamento de gua (ETA) na Gvea. 

Outras iniciativas relacionadas ao uso consciente da gua e de defesa ao meio ambiente vem sendo desenvolvidas pela autarquia neste governo seja participando da "Semana de valorizao da vida" em 2014, com atividades teatrais e vdeos educativos, evento realizado pelas escolas no municpio, bem como o projeto de conservao e preservao de nascentes, Re-Nascer, em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente e apoio da EMATER e IEF.

Mais do que nunca o DEMSUR acredita que pequenas aes individuais so a maior fora transformadora que se conhece. Ter uma atitude consciente em relao aos nossos hbitos de consumo a melhor maneira de se mudar o mundo. Economize gua, energia, recicle seu lixo, faa a sua parte e ajude a construir um futuro bom para todos.  



A Muriaeense Poliana Botelho venceu por nocaute tcnico a lutadoraSilvaneide "Marrentinha" em duelo vlido pela final do torneio promovido pelo XFCi9 e transmitido pelo canal aberto de TV "RedeTV".

Aps uma sequncia de 6 socos direcionados no rosto da adversria, o juiz interrompeu a luta e decretou a vitria po nocaute aps definir que "Marrentinha" no teria condies de retornar.

Em sua entrevista aps a grande vitria, Poliana agradeceu a todo o apoio da cidade de Muria e todo o Brasil revelando ainda a vontade de conquistar o Cinturo e enfrentar a lutadora argentina "Malvada". Segundo ela, aps retornar Muria, seu desejo desfilar por toda a cidade em um veculo aberto para poder sentir ainda mais de perto o carinho de seus fs e admiradores.



                        76 CIA PM - MURIA-MG

PM PRENDE AUTORES POR ROUBO A TRANSEUNTE EM MURIA


Em 11/03/2015, por volta das 23h15min, na Rua Coronel Pereira Sobrinho, no Bairro Porto, F.A.P.N., de 49 anos, foi abordado por trs indivduos, sendo que um portava uma arma de fogo, anunciou o assalto, e roubou R$1,30. Que os autores evadiram sentido bairro SANTA TEREZINHA. Em rastreamento, localizaram os autores R.M.B., de 16 anos, C.R.H., de 17 anos, e K.D.H., de 22 anos, prximo rua RECREIO, momento que este ltimo jogou uma arma debaixo de um caminho, a qual foi apreendida. O valor subtrado da vtima, foi encontrado no bolso do autor. Autores presos / apreendidos e conduzidos DPJ.  Autores autuados em flagrante.

 

PM ENCONTRA CADVER NAS MARGENS DO RIO GLRIA E PERCIA ACIONADA NO LOCAL EM MURIA

Em 11/03/2015, por volta das 17h, na Chcara Leblon, aps denncias de que s margens do RIO GLRIA havia sido encontrado um corpo j em estado de decomposio, militares realizaram contato com o delegado DR. RANGEL para colherem mais informaes acerca do fato. Percia compareceu ao local e realizou os trabalhos, sendo constatado leso na regio da nuca, no sendo possvel determinar o motivo da morte. Segundo informaes da PC, a vtima trata-se de D.P.F., de 18 anos, que ultimamente residia no bairro SO PEDRO. Corpo removido ao IML.



A nova tecnologia de Diagnstico Rpido da Dengue poder reduzir o tempo de anlise de amostras para 20 minutos e est sendo desenvolvida pela Fundao Ezequiel Dias (Funed), em parceria com aUniversidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a Fundao Centro de Hematologia e Hemoterapia de Minas Gerais (Hemominas). O prottipo est em fase de testes e inicialmente deve ser utilizado na Funed, que recebe anualmente cinco mil amostras de pacientes mineiros para exames laboratoriais. Se validado, o Diagnstico Rpido da Dengue dever ser disponibilizado em toda a rede do Sistema nico de Sade (SUS), em lminas descartveis, na forma de pacotes com 25 ou 100 testes, ainda no primeiro semestre deste ano. 

O kit foi criado pelas pesquisadoras Alzira Batista Ceclio (Funed) e Erna Kroon (UFMG) e pode agilizar o tratamento contra a doena. O mtodo traz uma pequena fita que, em contato com a amostra do paciente, se contaminado, reage presena do vrus e muda de cor. "Com a essa nova tcnica, o mdico poder tomar a deciso correta sobre o tratamento e ganhar tempo na ao contra a dengue", acredita Ceclio. Para a analista da Unidade de Inovao e Tecnologia do Sebrae-MG, Andrea Furtado, a nova tecnologia tambm vai contribuir para economia nos sistemas de sade mundiais. "Sem o diagnstico rpido, atualmente, h um prejuzo de R$ 3,5 bilhes nos sistemas de sade do mundo todo", afirma Andrea. 

O novo kit de Diagnstico Rpido da Dengue, que utiliza uma nova tcnica conhecida como imunocromatografia, faz lembrar os aparelhos de monitoramento de glicemia, usado no diagnstico de diabetes. A diferena que o sangue coletado do paciente no aplicado diretamente no kit: o teste realizado com o soro separado das clulas sanguneas e, por isso, a metodologia ainda exigir a coleta de sangue do paciente. Para anlise, o soro colocado sobre a membrana - que integra a parte interna do suporte plstico que compe o kit - juntamente com o diluente. A reao que pode indicar a presena de protenas do vrus da dengue ou anticorpos produzidos, ocorre em 20 minutos.

Atualmente, os testes de diagnstico da dengue so realizados a partir dos mtodos MacELISA e ELISA, que se diferenciam principalmente pelo processo e tempo decorrido entre a anlise do soro e o diagnstico.

"No primeiro mtodo, temos que desenvolver os reagentes, montar toda a plataforma de anlise do soro em laboratrio, procedimento que demanda trs dias de trabalho", explica o chefe do Servio de Virologia e Riquetsioses, Glauco de Carvalho Pereira. J o ELISA, segundo Glauco, por se constituir em um kit pronto garante a economia de tempo, reduzindo todo o processo de anlise do soro para aproximadamente cinco horas. A metodologia MacELISA considerada padro ouro pelo Ministrio da Sade, sendo a tcnica mais sensvel utilizada atualmente, com maior ndice de assertividade.

 

Casos notificados

Em 2010, com a epidemia de dengue identificada em diversos estados do pas, Minas Gerais chegou a contabilizar 261.945 notificaes de suspeita de infeco do vrus. Neste perodo, a Funed realizou 22.000 anlises de amostras. Em 2011, houve tanto queda no nmero de notificaes da doena como no volume de anlises realizadas pela instituio, tendo sido verificadas 5.000 amostras. "Estas amostras foram testadas em uma ou ambas as metodologias (MacELISA e ELISA), muitas vezes em duplicata", destaca a farmacutica bioqumica Maira Alves Pereira, do Laboratrio de Dengue e Febre Amarela da Funed.

Segundo Mara, as analises feitas na Funed tm como objetivo detectar se h epidemia de dengue em certa regio e contribuir para o trabalho de Vigilncia Epidemiolgica do Estado. "Por este motivo, o nmero de anlises no precisa ser proporcional ao volume de notificaes. Os testes laboratoriais so feitos para identificar a epidemia e auxiliar o governo nas aes a serem tomadas, mas o mdico, com exames clnicos, capaz de confirmar o diagnstico e pode indicar o tratamento adequado ao paciente antes mesmo do resultado laboratorial", explica. O teste rpido, nesses casos, seria tambm uma medida complementar para o diagnstico clnico, realizado pelo mdico.

O projeto para desenvolvimento do kit Diagnstico Rpido da Dengue conta com financiamento da Fundao de Amparo Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig).

 

Tecnologia abrangente

Segundo Alzira Batista Ceclio, a partir do desenvolvimento da plataforma tecnolgica do teste rpido para Dengue, futuramente h a possibilidade de se utilizar a mesma base para a elaborao de kits que contemplem outras doenas que tangem sade pblica, como o rotavrus, herpesvrus e parasitas que sero definidos aps a validao da tecnologia.

 

A doena

Segundo informaes do Ministrio da Sade, a dengue um dos principais problemas de sade pblica do mundo. Normalmente, os sintomas da doena se manifestam aps trs dias da picada do mosquito. Os indcios de infeco podem apontar duas formas de dengue: clssica e hemorrgica, e a segunda pode levar a morte no perodo de 24 horas.

Os sintomas da dengue clssica so caracterizados por febre alta com incio sbito, forte dor de cabea, dor atrs dos olhos - que piora com o movimento dos mesmos, perda do paladar e apetite, nuseas e vmitos, tonturas, extremo cansao, moleza e dor no corpo, muitas dores nos ossos e articulaes. Alm de manchas e erupes na pele semelhantes ao sarampo, principalmente no trax e membros superiores.

A princpio, a dengue hemorrgica apresenta os mesmos sintomas que a clssica, no entanto, aps a febre, comeam a se manifestar os sinais mais graves, distinguidos pelas dores abdominais fortes e contnuas, vmitos persistentes, pele plida, fria e mida, sangramento pelo nariz, boca e gengivas, manchas vermelhas na pele, sonolncia, agitao e confuso mental, sede excessiva e boca seca, pulso rpido e fraco, dificuldade respiratria e perda de conscincia.

Enquete

publicidade

publicidade

publicidade

Fotos

Notícias de Muriaé Notcias Esportes Entretenimento
Rua Alexandre Barroca, n 330, Bairro So Francisco, Muria-MG, CEP 36880-000

Todos os direitos reservados a Notícias de Muriaé

As informações de site são constantemente atualziadas pela Equipe da Notcias de Muria. Ressaltamos que o Notícias de Muriaé reserva-se ao direito de alterar qualquer informação do site, valores e demais informações, sem aviso prévio.